Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

Lei 8: Faça as Pessoas Virem Até Si – Use um Isco se Necessário

27.03.20

Cerejas - Faça as Pessoas Virem Até Si – Use um Isco se Necessário

Quando forçamos os outros a agir, somos nós próprios que controlamos. É sempre melhor fazer com que o nosso adversário venha até nós, abortando os seus próprios planos no processo. Seduza o adversário com a possibilidade de ganhos fabulosos – depois ataque. É você que dá as cartas.

Charles Maurice de Talleyrand-Périgord, ministro das negócios estrangeiros de Napoleão Bonaparte, pode atestar esta advertência. Talleyrand era um dos mentores e manipuladores que estava por detrás da fuga dramática de Napoleão após seu exílio na Ilha de Elba. Talleyrand sabia que a arrogância de Napoleão era a sua fraqueza. Não demonstrando os seus verdadeiros sentimentos em relação ao imperador, Talleyrand esperou o seu tempo, fez as conexões certas, e ajudou a criar o esquema mais elaborado para destronar uma das pessoas mais infames do mundo, que foi Napolean Bonaparte.

Estratégias a serem lembradas

Reagir ao invés de dirigir

Mantenha os outros reagindo aos seus movimentos, e coloque-os na defensiva. Jogue com a sua ineficácia e permaneça calmo.

Agressão versus ação efetiva

Não desperdice muita energia a tentar expressar o seu ponto de vista, aguarde o seu tempo como Talleyrand. Faça a outra pessoa vir até si, coloque um isco se necessário.

Controlar a situação

Conheça a fraqueza dos seus oponentes. Quem tem o controlo, tem o poder.

Domine as suas emoções

Nunca se deixe influenciar pela sua raiva. Pessoas agressivas nunca estão no controlo.

Durante a Guerra Russo-Japonesa de 1904-1905, o Japão conseguiu colocar informações falsas que fizeram com que a frota russa se afastasse por 9.000 milhas do objetivo, e forçou os russos a entrar em território hostil. Os marinheiros russos estavam fracos e exaustos com a viagem, e embora o Japão tivesse uma frota naval mais fraca, lançaram a isca que lhes dava uma vantagem sobre os russos. No final os japoneses esmagaram os russos por causa de sua reação ao boato.

5 benefícios de fazer com que os seus oponentes venham até si

  1. Ao atrair o seu oponente para terreno hostil, torna-se uma maneira subtil de colocá-lo na defensiva.
  2. O seu oponente fica nervoso, o que fará com que apresse as ações e cometa erros.
  3. Cria a ilusão de que o seu oponente está no controlo da situação.
  4. Muitas vezes, a ganância, os desejos e as emoções do seu oponente serão o grande motivador que serve de isco, o que significa que podem ser facilmente guiados e/ou derrotados.
  5. Fazer as pessoas cavarem os seus próprios túmulos fá-lo parecer poderoso e exigir respeito.
Exceções à lei

Em vez de recuar e deixar que outros o persigam, uma agressão repentina pode ser eficaz em casos específicos. Quando ataca repentinamente, o seu oponente precisa de reagir rapidamente, sem tempo para pensar ou mobilizar uma resposta forte, e comete erros. Um ataque surpresa também pode ser assustador e desmoralizante.

Passar à ofensiva é o oposto de se conter e fazer com que o seu oponente chegue até si, mas funciona da mesma forma. Ao forçar o seu oponente a responder; está no controlo.

Qual tática que  deve usar? Esperar e atrair versus atacar?

Depende das circunstâncias. Se você e o seu oponente são igualmente fortes, atraí-lo a si ajudará a esgotar a sua força. Se o seu inimigo é fraco, é melhor lançar um ataque rápido do que dar tempo para ficar mais forte.