Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

Lei 7: Faça os Outros Trabalharem por Si, Mas Fique com o Crédito

28.03.20

Joker a saltar barreiras com cavalo - Faça os Outros Trabalharem por Si, Mas Fique com o Crédito

Use a sabedoria, o conhecimento e o esforço físico dos outros para causa própria; Não só o ajudará a economizar tempo e energia, como lhe dará uma aura divina de eficiência e rapidez. No final, os seus ajudantes serão esquecidos e você será lembrado. Não faça você mesmo o que os outros podem fazer por si.

Thomas Edison era o gênio consumado dos esforços de outras pessoas. Contratou um cientista e inventor sérvio com o nome de Nikola Telsa, que trabalhava dia e noite para melhorar a invenção antiquada do gerador de Edison. Edison disse a Telsa que receberia US $ 50.000 por redesenhar este sistema de corrente elétrica. Dentro de um ano, Telsa criou uma versão aprimorada do gerador de Edison, e em vez de receber os US $ 50.000, recebeu apenas um aumento, e foi Edison que recebeu crédito pelo trabalho realizado por Telsa.

Nikola Telsa é um excelente exemplo do que não fazer. Nunca foi creditado por nenhum dos seus trabalhos. Depois do episódio de Edison, inventou o sistema de corrente alternada. Os financiadores despojaram Telsa do crédito, patentes e riquezas que ele teria recebido com esta invenção, que se aproximava de US $ 12 milhões, em vez dos apenas US $ 216.000 que aceitou como pagamento.

Tesla também nunca foi reconhecido pela patente registada em 1897 da invenção da rádio, quando outra pessoa, Guglielmo Marconi, recebeu o crédito pela invenção do rádio.

Esta é uma história triste, mas verdadeira, sobre um homem que era obcecado pelo seu trabalho, mas que nunca recebeu louvores, remuneração correspondente, nem o respeito que lhe era merecido. Edison e os outros, por outro lado, viram a necessidade de contratar os melhores da sua área para fazer o trabalho pelo qual eles obteriam o crédito.

4 razões pelas quais deve utilizar o trabalho dos outros

1. Ninguém gosta de um herói esgotado

Se insistir em fazer tudo sozinho, nunca irá muito longe. Contratar alguém ou outras pessoas para fazer o trabalho por si, dar-lhe-á uma qualidade divina que os outros irão admirar. O pintor Peter Paul Rubens reuniu uma vasta gama de artistas de destaque para pintar a base das suas telas. Quando um cliente visitava o estúdio de Rubens, parecia que estava a trabalhar arduamente numa pintura quando, na sua essência, estava quase terminada.

2. Existem algumas capacidades que não possui

Contratar pessoas que possuem aptidões que não tem, é provavelmente uma das decisões mais sábias que pode tomar. Como no caso de Rubens, que contratou diferentes tipos de artistas: um especializado em vestes; outro especializado em planos de fundo e assim por diante. Foi isto que permitiu a Rubens parecer trabalhar diligentemente nas suas pinturas. Embora tivesse contratado outros para fazer grande parte no trabalho das pinturas, conseguiu colocar o seu nome nas mesmas, sendo assim o gênio que recebeu o crédito e o dinheiro.

3. Subir nos ombros dos gigantes

Isaac Newton, um gênio por si mesmo, fez as suas descobertas baseadas na conquista dos outros. William Shakespeare aproveitou partes e obras de vários escritores.  Muitas outras pessoas plagiaram o trabalho do próprio Shakespeare. Usar o conhecimento do passado faz de si um mutuário inteligente, e pode fazer parecê-lo um gênio.

4. O trabalho do abutre

O trabalho árduo dos outros torna o trabalho do abutre fácil. Quando estes apresentam dificuldades de sobrevivência, tornam-se o alimento do abutre. Enquanto trabalha arduamente, o abutre está a pairar, aguardando uma oportunidade. Não lute contra o abutre, e junte-se a este. O abutre é vigilante, cruel e calmo: as qualidades que deve adquirir para garantir o crédito de uma invenção ou criação que possa tornar sua. O crédito para uma invenção é tão importante, senão mais importante que a própria invenção. Otto von Bismarck disse uma vez: “Os tolos dizem que aprendem com a experiência. Eu prefiro lucrar com a experiência dos outros. "

Exceções à lei

Nem sempre é inteligente receber crédito pelo trabalho de outras pessoas.

Se ainda não estabeleceu uma reputação sólida, parece que está a buscar crédito e a empurrar alguém para fora dos holofotes. Seja sábio na sua decisão e certifique-se primeiro de que a sua posição é inabalável ou será acusado de empurrar as pessoas para fora do centro das atenções. A deceção não é uma palavra que deseja associar a si.

Mais importante, deve ter cuidado para não ofender um superior, ao ser ganancioso pelo crédito do trabalho.

Por exemplo, enquanto os talentos de Henry Kissinger, o secretário de estado do Richard Nixon, foram a razão do sucesso da histórica visita à China de Nixon, Kissinger deixou Nixon deleitar-se com o sucesso. Kissinger sabia como jogar o jogo, recebendo crédito pelo trabalho daqueles que estavam abaixo ele, enquanto dava ao seu chefe o crédito pelo seu próprio trabalho.