Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

Lei 45: Pregue a Necessidade de Mudança, mas Não Mude Muita Coisa ao Mesmo Tempo

19.02.20

Canyon - Pregue a Necessidade de Mudança, mas Não Mude Muita Coisa ao Mesmo tempo

Teoricamente, todos sabem que é preciso mudar, mas na prática as pessoas são criaturas de hábitos. Muita inovação é traumático e conduz à rebeldia. Se é novo numa posição de poder ou alguém de fora tem o intuito de destruir a sua base de poder, mostre explicitamente que respeita a maneira antiga de fazer as coisas. Se a mudança é necessária faça-a parecer uma suave melhoria do passado.

Consequências da mudança

  1. Aquele que inicia reformas fortes geralmente torna-se o bode expiatório de qualquer tipo de insatisfação.
  2. Eventualmente, a reação às suas reformas pode consumi-lo, pois a mudança é perturbadora para o animal humano, mesmo quando é para o bem.
  3. O mundo está repleto de insegurança e ameaça. Apegamo-nos a rostos familiares e criamos hábitos e rituais para tornar o mundo mais confortável.
  4. A mudança pode ser agradável e, às vezes, desejável no abstrato, mas muito dela cria uma ansiedade que se agita e ferve sob a superfície e depois entra em erupção.

A antecipação é uma coisa boa

  1. Nunca subestime o conservadorismo oculto das pessoas ao seu redor. É poderoso e entrincheirado.
  2. Nunca deixe que os encantos sedutores de uma ideia ofusquem a sua razão:
  3. Não pode fazer as pessoas verem o mundo à sua maneira
  4. Não pode criar mudanças dolorosas porque as pessoas vão-se revoltar.
  5. Se for necessária uma reforma, antecipe a reação contra ela e encontre maneiras de disfarçar a mudança e adoçar o veneno.

O passado é poderoso

  1. O que aconteceu antes parece maior; hábito e história dão peso a qualquer ato. Use isto a seu favor.
  2. Quando destrói o familiar, cria um vazio. As pessoas temem o caos que irá preencher este vazio
  3. Deve evitar despertar estes medos a todo custo.
  4. Use o peso e a legitimidade do passado, mesmo que remotos, para criar uma presença reconfortante e familiar. Isto dará à suas ações associações românticas, aumentará a sua presença e ocultará a natureza das mudanças que está a implementar.
  5. O facto do passado estar morto e enterrado dá-lhe a liberdade de reinterpretá-lo. Para apoiar a sua causa, mexa nos factos à sua medida.
  6. O passado é um texto no qual pode inserir com segurança as suas próprias linhas.

A solução

  1. Um gesto simples, como usar um título antigo ou manter o mesmo número de um grupo, amarra-o ao passado e apoia-o com a autoridade da história.
  2. Faça uma exibição pública e grande de apoio aos valores do passado.
  3. Parece ser um fanático pela tradição e poucos perceberão como não é realmente convencional.
  4. Declare silenciosamente uma mudança radical, enquanto parece salvaguardar a tradição.
  5. As alterações que faz devem parecer menos inovadoras do que são.
  6. Se a sua reforma estiver muito adiantada, poucos a entenderão, e isso despertará ansiedade e será irremediavelmente mal interpretado.
  7. Se trabalha num período tumultuoso, há poder a ser ganho pregando um retorno ao passado, com conforto, tradição e rituais conhecidos.

ADVERTÊNCIAS

  • O passado está morto para ser usado como achar melhor.
  • Se o que aconteceu no passado recente foi doloroso e severo, é autodestrutivo associar-se a ele.
  • Mesmo uma história recente feia parecerá preferível a um espaço vazio.
  • Preencha esse espaço imediatamente com novos rituais e formas.
  • Crescendo tranquilamente e com familiaridade, isto assegurará a sua posição entre as massas.
  • As artes, a moda e a tecnologia parecem ser áreas nas quais o poder advém ao criar uma rutura radical com o passado. Esta estratégia pode trazer grande poder, mas tem muitos perigos.
  • É inevitável que as suas inovações sejam superadas por outra pessoa. Nesta situação tem pouco controle - alguém mais jovem e mais novo move-se repentinamente numa nova direção, tornando a sua ousada e antiga inovação obsoleta e sem interesse.
  • Aqueles que terminam uma revolução raramente são aqueles que a iniciam. Muito dificilmente terá sucesso neste jogo perigoso, a menos que esteja disposto a impedir a reação inevitável contra ele, jogando com as aparências e aproveitando o passado.
Exceções à lei

Durante períodos estagnados, as pessoas anseiam por mudança, em vez de resistir a à mesma. Portanto, lance as suas reformas, mas fique atento ao emoção do público e diminua a velocidade, se necessário. Além disso, esteja pronto para uma eventual contrarreação.