Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

Lei 38: Pense Como Quiser, Mas Comporte-se Como os Outros

26.02.20

Mãos unidas - Pense Como Quiser, Mas Comporte-se Como os Outros

Se evidenciar demasiado que é contrário às tendências da época, ao ostentar as suas ideias pouco convencionais e modos não ortodoxos, os demais irão julgar que pretende chamar apenas a atenção. Encontrarão uma forma de o castigar por fazê-los sentir inferiores. É muito mais seguro juntar-se aos restantes e desenvolver um toque comum. Compartilhe a sua originalidade só com os amigos tolerantes e com aqueles que certamente apreciarão a sua singularidade.

As pessoas que ostentam a sua paixão por uma cultura diferente estão expressando desdém e desprezo pela sua própria cultura. Usam a aparência externa do exótico, expressando o seu senso de superioridade, para se separar do ser comum que segue inquestionavelmente os costumes e leis locais. Caso contrário, agiriam com mais dignidade, demonstrando respeito por aqueles que não compartilham os seus desejos.

A necessidade de mostrar a diferença de maneira tão dramática, faz das outras pessoas não gostarem deles, cujas crenças desafiam, indireta e sutilmente, com um tom ofensivo.

O truque para manter a sua singularidade respeitando os costumes

  1. Finge discordar das ideias diferentes contra a cultura predominante, mas no decorrer da sua discordância expressa e expõe as suas próprias ideias.
  2. Parece estar em conformidade com a ortodoxia presente, mas aqueles que sabem entenderão a ironia envolvida. Estará protegido.
  3. Não faz sentido exibir as suas ideias diferentes se estas apenas lhe trazem sofrimento e perseguição.
  4. O martírio não serve de nada - é melhor viver num mundo opressivo, até conseguir prosperar nele.
  5. Encontre uma maneira de expressar as suas ideias sutilmente apenas para aqueles que o entendam.

A verdade

  1. Todos contamos mentiras e escondemos os nossos verdadeiros sentimentos, pois a total liberdade de expressão é uma impossibilidade social.
  2. Desde tenra idade, aprendemos a esconder os nossos pensamentos, contando aos outros o que sabemos que eles querem ouvir, observando atentamente para que não os ofendamos.
  3. Existem ideias e valores que a maioria das pessoas aceita, sendo inútil argumentar.
  4. Acreditamos no que queremos, mas por fora usamos uma máscara.
  5. Existem pessoas, no entanto, que veem essas restrições como uma violação intolerável à sua liberdade.
  6. Precisam de provar a superioridade dos seus valores e crenças.
  7. No final, os seus argumentos convencem apenas alguns e ofendem muitos mais.
  8. A razão por que os argumentos não funcionam é que a maioria das pessoas mantém as suas ideias e valores sem pensar nelas.
  9. Existe uma forte componente emocional nas suas crenças.
  10. As pessoas não querem ter de refazer os seus hábitos de pensamento, e quando as desafia, seja diretamente através dos seus argumentos ou indiretamente através de seu comportamento, elas ficam hostis.

O poder real

  1. As pessoas sábias e inteligentes aprendem desde cedo que podem exibir comportamentos convencionais e expressar ideias convencionais sem ter que acreditar nas mesmas.
  2. O poder que ganham misturando-se com outros é serem deixadas “em paz” para ter os pensamentos que quiserem.
  3. Expressam as suas ideias para quem desejam expressá-las, sem sofrer isolamento ou ostracismo.
  4. Depois de se estabelecerem numa posição de poder, podem tentar convencer um círculo mais amplo da validade das suas ideias - talvez trabalhando ainda indiretamente neste sentido.

O senso comum

  1. Use a sua capacidade natural de ser tudo para todas as pessoas.
  2. Quando estiver perante a sociedade, deixe para trás as suas próprias ideias e valores e coloque a máscara mais apropriada para o grupo em que se encontra.
  3. As pessoas engolem a isca porque lisonjeia-as fazendo-as acreditar que compartilha as suas ideias.
  4. Não o considerarão hipócrita se for cuidadoso - pois como o poderão acusar de hipocrisia se não lhes permite saber exatamente quais são as suas ideias próprias?
  5. Não o verão como não tendo valores, porque irá compartilhar os mesmos valores enquanto estiver na companhia dos outros.

ADVERTÊNCIAS

  • Existe sempre um lugar para o provocador, aquele que desafia com sucesso os costumes e goza de que já está ultrapassado numa cultura.
  • A sociedade tolera algumas poucas pessoas que ostentam as suas diferenças porque elas tornam as coisas mais emocionantes, mas é mais provável que atinja os seus objetivos se aprender a misturar-se com a cultura da época.

Exceções à lei

  • O único momento em que vale a pena se destacar, é quando alcançou uma posição inabalável de poder e pode exibir a sua diferença como um sinal de distância entre si e os outros. Vá longe demais e as pessoas podem-se voltar contra si.
  • Mesmo para quem chega ao auge do poder, será bom afetar pelo menos um traço em comum, pois em algum momento o apoio popular pode ser necessário.