Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

Lei 36: Despreze o Que Não Poder Ter, Ignorar é a Melhor Vingança

28.02.20

Homem com capuz - Despreze o Que Não Poder Ter, Ignorar é a Melhor Vingança

Ao reconhecer um problema banal, dá-se-lhe existência e credibilidade. Quanto mais atenção der a um oponente, mais forte o torna: e um pequeno erro às vezes torna-se pior e mais visível se o tentarmos emendar. Às vezes, é melhor deixar as coisas como estão. Se existe algo que queremos, mas que não podemos ter, devemos mostrar desprezo. Quanto menos interesse se revelar, mais superior vai parecer.

Faça as escolhas certas

  1. Não deixe que os outros o incomodem. Escolha não dar atenção ao agressor irritante.
  2. A ação mais poderosa é considerar o assunto trivial e indigno do seu interesse. Se não reagir não pode ser arrastado para baixo num compromisso fútil.
  3. O seu orgulho não está envolvido. A melhor lição que pode ensinar a um mosquito irritante é deixa-lo no esquecimento, ignorando-o.
  4. Se for impossível ignorar, conspire em segredo para acabar com o mesmo. Nunca, inadvertidamente, chame a atenção para o inseto incómodo que desaparecerá sozinho.
  5. Se desperdiçar tempo e energia em tais emaranhados, a culpa é sua. Aprenda a jogar a carta do desdém e vire as costas para o que não pode prejudica-lo a longo prazo.

Quando presta atenção a uma pessoa, tornam-se parceiros, cada um movendo-se em função das ações e reações um do outro. Neste processo, perde a sua iniciativa. Ao reconhecer outra pessoa, mesmo que no caso de um conflito, abre-se à sua influência. Ao ignorar as pessoas, cancela-as. Isso perturba-as e enfurece-as. Como não conseguem interagir consigo, não há nada que possam fazer.

O aspeto atacante da lei: jogar a carta do desprezo dá-lhe imenso poder, pois permite determinar as condições do conflito e a guerra é travada nos seus termos.

A pose máxima do poder: o rei ou rainha que ignora o que ofende. Observe como esta tática enfurece as pessoas - querem chamar a sua atenção, e quando lhes retira este prazer, elas debatem-se em frustração.

O desejo cria efeitos paradoxais

  • Quanto mais se quer algo, mais o persegue, e mais lhe escapa. Quanto mais interesse demonstrar, mais repelirá o objeto do seu desejo. Isto ocorre porque o seu interesse é muito forte - torna as pessoas constrangedoras, até amedrontadas.
  • O desejo incontrolável faz com que pareça fraco, indigno, e até patético. Precisa voltar as costas ao que deseja, mostrando o seu desprezo e desdém. Este é o tipo de resposta que deixará os seus oponentes loucos.
  • Se os seus oponentes quiserem, dominá-lo, completou com sucesso o primeiro passo de esquivar-se às suas tentativas. Se querem fazer-lhe mal, desestabilizou-os com a sua reação.
  • Se optar por ignorar o outro aumenta o seu poder, a abordagem oposta de comprometimento e iteração, geralmente o enfraquece. Ao prestar atenção a um oponente insignificante, e quanto mais tempo levar neste processo, maior o oponente se parece.

Lembre-se: As melhoras respostas a irritações e insignificâncias são o desprezo. Nunca mostre que algo o afetou ou que está ofendido - isto apenas mostra que reconheceu um problema. O desprezo é um melhor prato se for servido a frio..

Duas estratégias para executar

A abordagem da indiferença

Se há algo que deseja, mas que percebe que não pode ter, a pior coisa a fazer é chamar a atenção para a sua deceção. Uma tática infinitamente mais poderosa é agir como se nunca tivesse tido realmente interesse.

A abordagem da superficialidade

Quando é atacado por alguém inferior, desvie a atenção das pessoas, deixando claro que o ataque nem sequer foi notado. Desvie o olhar ou responda docemente, mostrando quão pouco o ataque lhe interessa. Da mesma forma, quando comete um erro, a melhor resposta é não dar importância ao erro tornando o mesmo insignificante.

ADVERTÊNCIAS

Ao usar a tática de tratar alguém com desdém, verifique primeiro se não está a criar sentimentos que façam com que o seu oponente queira vingar-se. Quando despreza alguém publicamente, poderá ter de ficar de olho para garantir que desapareça sem causar mais problemas.

Exceções à lei

Desenvolva a capacidade de detetar os pequenos problemas que podem tornar-se maiores e intratáveis. Aprenda a distinguir entre o potencialmente desastroso e o levemente irritante. Este último é um incômodo que desaparecerá por si próprio. Em ambos os casos, nunca tire completamente os olhos de cima de um problema. Enquanto o problema estiver vivo, pode arder e brilhar a qualquer altura.