Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

As 48 Leis do Poder

Baseado no livro de Robert Greene

Lei 18: Não Construa Fortalezas Para se Proteger – O Isolamento é Perigoso

17.03.20

Castelo em lago - Não Construa Fortalezas Para se Proteger – O Isolamento é Perigoso

O mundo é perigoso e os inimigos estão por toda a parte – todos precisamos de nos proteger. Uma fortaleza parece mais segura, mas o isolamento expõe-nos a mais perigos do que aquilo que nos protege. Ficamos isolados de preciosas informações, transformando-nos num alvo fácil e evidente. Será melhor circular entre as pessoas, descobrir aliados, misturar-nos. A multidão serve de escudo contra os nossos inimigos.

5 perigos do isolamento

  1. Perde o contato com as fontes do poder.
  2. Perde a noção do que está a acontecer ao seu redor.
  3. Perde o sentido de proporção.
  4. Afasta-se do tipo de conhecimento do qual a sua vida depende.
  5. Afasta-se do que está perto incluindo saber das tramas contra si.

Torna-se mais difícil sair do seu isolamento quando o escolhe, afundando-o em areia movediça sem se perceber disso.

Compare e contraste as vidas de Qin Shihuang, o primeiro imperador da China (221-210 a.C.) e Louis XIV, o rei de França (1643-1715):

Depois de proibir os escritos e os ensinamentos do grande filósofo Confúcio, Shihuang fez muitos inimigos, e ficou com um medo constante, até mesmo paranoico. Luís XIV compreendeu muito cedo a verdade de que um rei ao se isolar é está a incorrer em perigo.

O imperador retirou-se cada vez mais no seu palácio para se proteger, e lentamente perdeu o controle do reino. Dormia num quarto diferente todas as noites, e qualquer um que inadvertidamente lhe colocasse os olhos era decapitado. O quarto de Louis XIV ocupava o centro do palácio de Versalhes e era o foco da atenção de todos.

Devido à sua ausência, os eunucos e ministros de Shihuang promulgaram políticas sem a sua aprovação ou mesmo sem o seu conhecimento e lançaram conspirações. Louis XIV sabia que se estivesse ausente, as maquinações surgiriam como cogumelos após a chuva, as animosidades cristalizar-se-iam em fações, e a rebelião começaria antes que tivesse tempo de reagir.

Shihuang viajou incógnito, disfarçando-se com cuidado. Numa destas viagens pelas províncias, morreu repentinamente e sozinho, longe das suas esposas, família, amigos e cortesãos, acompanhado apenas por um ministro e um punhado de eunucos. Alguns especulam que foi envenenado pelos mesmos ministros intrigantes que encorajaram o seu isolamento. Luís XIV construiu o palácio de Versalhes, onde tudo e todos andavam à volta dele. As condições em Versalhes permaneceram durante todo o reinado de Luís XIV, com cinquenta anos de relativa paz e tranquilidade.

Coloque-se no centro das atividades

Deve estar ciente de tudo o que acontece à sua volta e de qualquer pessoa que possa estar a tramar algo contra si. Não se sinta ameaçado; esta é uma forma perigosa de começar a ficar paranoico. Não recue e feche fileiras, para encontrar segurança numa espécie de fortaleza. Lute contra o desejo de se voltar para dentro. Não confie nas informações de um pequeno círculo e perca a perspetiva nos eventos ao seu redor. Não perca a manobrabilidade tornando-se um alvo fácil. Como na guerra e na maioria dos jogos de estratégia, o isolamento geralmente precede a derrota e a morte. Torne-se mais acessível. Procure aliados antigos e faça novos, force-se em círculos diversos.

Precisa de ser permeável, capaz de flutuar dentro e fora de diferentes círculos e de se misturar com diferentes tipos de pessoas. Este tipo de mobilidade e contato social o protegerá de conspiradores, que serão incapazes de guardar segredos de si, dos seus inimigos, e não conseguirão isolá-lo dos seus aliados. Sempre em movimento, mistura-se nos aposentos do palácio, nunca sentando ou acomodando num só lugar. Nenhum caçador pode fixar a sua pontaria numa criatura tão veloz.

Exceções à lei

A única situação em que poderá beneficiar do isolamento é quando precisa de tempo para pensar e obter uma nova perspetiva, sem se distrair com o que está a acontecer ao seu redor. Nicolau Maquiavel escreveu a sua obra O Príncipe no exílio. Apenas verifique se o isolamento é temporário, antes de se tornar areia movediça.

Escolha o isolamento apenas como último recurso e apenas em pequenas doses. Tenha cuidado para manter o caminho de volta à sociedade aberto para voltar a qualquer momento.